23 de outubro de 2017

A DESTRUIÇÃO DA MORTE

PARE E PENSE!!!

“A DESTRUIÇÃO DA MORTE”

O estudo que iremos apresentar neste dia, nos fala de uma morte. Antes porém, se faz necessário esclarecermos ao leitor que existem dois tipos de morte: a morte física e a morte espiritual. A morte física, o evangelho nos diz que um dia teremos este corpo transformado. O que é corrupto se vestirá de incorrupção, e o que mortal se vestirá de imortalidade. (1ª CORÍNTIOS. 15: 53).

A morte que iremos tratar neste precioso tema, é a morte espiritual, esta ocorreu quando Adão entrou em desobediência. O ato cometido por ele criou uma separação entre Deus e sua criação. Por meio deste homem veio a morte que contaminou a toda humanidade. Recordem que Adão está antes da lei de Moisés, e quando esta lei é instituída, a morte toma força, nos matando.

Deus então, por meio dos profetas, começa a anunciar a destruição desta morte. Estes antevêem que com a morte de Cristo na cruz do calvário, ele destruiria esta morte, pondo fim naquilo que nos separava.

Eu os remirei da mão do inferno, e os resgatarei da morte. Onde estão, ó morte, as tuas pragas? Onde está, ó inferno, a tua perdição? O arrependimento está escondido de meus olhos. OSÉIAS. 13:14.

Zacarias, outro profeta, declara que na morte de Cristo, ele também retiraria o pecado da terra em um só dia.

Porque eis aqui a pedra que pus diante de Josué; sobre esta pedra única estão sete olhos; eis que eu esculpirei a sua escultura, diz o Senhor dos Exércitos, e tirarei a “iniquidade” desta terra num só dia. ZACARIAS. 3:9.

Isaías declara: Cristo triunfará sobre o diabo dando morte a este ser.

Naquele dia, o Senhor castigará com sua espada dura, grande e forte ao leviatã serpente veloz e ao leviatã serpente tortuosa; e “matará o dragão que está no mar”. ISAÍAS. 27: 1.

Muitas foram as profecias falando destas três mortes, e isso se cumpre na cruz do calvário. Acaba-se a separação. Já estamos reconciliados com Deus, por meio deste sacrifício.

O FIM DO IMPÉRIO DA MORTE

Na carta do apóstolo Paulo aos Romanos, temos evidências de como devemos nos comportar ao entendermos que esta morte espiritual não tem mais lugar em nossas vidas.

Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz. ROMANOS. 8:6.

Muita atenção! Ocupar-se da carne é morte; já, o tratar com o espírito é vida e paz. O apóstolo nos diz que se você trata de cuidar desta carne, por meio de sacrifícios, os resultados serão catastróficos. Não dê combustível a ela com os rudimentos da lei (jejum, vigílias, pagamentos de promessas, sacrifícios, oblações, etc…), pelo contrário, nosso chamado é cuidar de coisas espirituais. E cuidar das coisas do espírito, te traz paz.

Essa prática de cuidar da carne foi trazida pelos apóstolos de Jesus de Nazaré. Estes homens não entenderam que após a morte de Cristo entramos em uma nova era. Os relatos nos dão conta, que quando um deles encontrava os gentios, logo os questionavam: Vocês já se circuncidaram?

Paulo, não! Ele ensinava a deixarmos as práticas da lei: vivam por fé, saiam desse mundo carnal, aí vocês só encontrarão morte. Somente ele em seu tempo, entendeu as coisas do espírito, isso o tornava um homem controverso e polêmico.

Como é cuidar das coisas do espírito? É não conhecer a ninguém segundo a carne, inclusive a si mesmo. Quando olhamo-nos por dentro e identificamos quem somos (espíritos justos feitos perfeitos), estamos cuidando do espírito; já quando entramos na prática das obras da lei, caímos no erro de cuidar de carne e aí… Só encontramos morte.

Quando cuidamos do espírito, utilizando o evangelho (as quatorze cartas paulinas), a vida flui em nós, entramos em gozo e paz. Quer um exemplo? Quando estamos tristes, a carne neste momento está manifestada.

Chegar ao conhecimento de dividir carne e espírito, significa que você é muito especial. Ocupar-se do espírito é servir a Deus com a mente, só Paulo podia fazer isto.

Quando atingimos esta maturidade, por mais que venham situações em nossas vidas, reagimos de forma diferente, a confissão vai de forma contrária ao que vês. Os deslizes, as falhas que muitas vezes nos envergonham, nós as refutamos e levamos cativo todo pensamento em obediência a Deus.

CUIDANDO DO ESPÍRITO

Na carta escrita aos efésios, Paulo nos dá uma receita de como vivermos em espírito.

Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, EFÉSIOS. 2:15.

Cristo assumiu em sua carne a inimizade, os mandamentos, e nela, ele os aboliu uma vez e para sempre, já não há mais grego nem judeu, agora somos uma nova criação. Infelizmente por pura ignorância (desconhecimento), todo o sistema chamado religioso, hoje vive em morte.

Notem bem: Oséias relata que o aguilhão da morte é o pecado e o poder do pecado é a lei, porém, Cristo aboliu esta lei em sua carne. Se isso ocorreu desta forma, não podemos mais ser achados em pecado, e findando o pecado, a morte foi excluída. “O fim da Lei é Cristo.”

Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo… ROMANOS 7:4

Abençoados o que estamos te apresentando, não é uma simples oposição ao sistema religioso, chamado cristão, isso é muito sério. Estamos te mostrando que é algo que trata de vida e morte. Muitos são os que estão com suas mentes em total trevas, sem a luz do evangelho, e andam em escuridão. Vamos fazer aqui duas observações bem contundentes:

Ocupar-se da carne, é fazer afronta ao espírito da graça. Você está tendo em pouco o sacrifício da cruz.

Ocupar-se da carne é estar em apostasia, pois você está apartado da fé.

Pode alguém dizer: eu estou vivendo em graça, isso não é para mim. Não se iluda, pois quando vem as situações e te metes a querer ajudar a Deus com seu jeitinho, você também está brincando com morte.

REINANDO EM VIDA

Na grande maioria das religiões chamadas cristãs, o alvo é você se comportar direitinho, seguir as regras ali estabelecida na lei, e um dia seu prêmio é ir reinar com o Senhor na glória. Porém, escrevendo a Roma, o apóstolo nos mostra que o nosso reinado começa aqui.

Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, “reinarão em vida” por um só, Jesus Cristo. ROMANOS. 5:17.

Paulo aqui nos afirma que por meio de Adão, o pecado, um dia entrou no mundo. Quando chega a lei de Moisés, se estabelece o reinado da morte. Tenha certeza disto, se você se submeter às regras desta lei, você jamais reinará em vida. O apóstolo declarava que a lei despertou nele todo tipo de cobiça. Todos os grupos chamados cristãos estão com dois mil anos de atraso. Esta lei é um ministério de morte.

E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória, 2ª CORÍNTIOS. 3:7.

A pergunta que te fazemos é esta: O que é que foi gravado com letras em pedras? DIGA: A LEI DE MOISÉS! Embora Paulo dizia que está lei é santa e justa, ela trazia morte.

Antes de seguirmos o raciocínio estabelecido, vamos fazer um aparte, para esclarecer algo bem sério: já identificamos que Jesus de Nazaré assumiu esta lei em sua carne para nos dar vida. Jesus era judeu, e como um bom judeu cumpriu toda a lei por nós. Esta lei era um pacto de morte.

Jesus de Nazaré em sua carne está impregnado de morte. Quer você agora seguir a Jesus de Nazaré? Se o seguir vais entrar em sérios problemas. Paulo sempre advertiu à igreja a tirar os olhos desta manifestação. Vamos repetir o verso de Romanos:

Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais de outro, daquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que demos fruto para Deus. ROMANOS. 7:4.

O mundo está neste caos por que todos os dias estão clamando a Jesus de Nazaré. Eles seguem a morte. Leia novamente o verso. Nós fomos chamados a valorizar este sacrifício e não a segui-lo. Teus olhos tem que estar posto no espírito que o ressuscitou dos mortos, essa carne está cheia de maldição, condenação e morte.

Vamos ao capítulo oito desta carta, verso três, e veja o que Paulo fala a cerca deste mandamento:

Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne; ROMANOS. 8:3.

Pare e pense, o que é que vem a ser algo impossível? Não existe forma, não tente, saia daí, ninguém foi ou será justificado guardando estas ordenanças. Verso quatro:

Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito. ROMANOS. 8:4.

A justiça da lei, só pode cumprir-se em nós quando seguimos a Deus segundo o espírito. Não tente andar segundo a carne, vais cair em morte.

Neste pacto estabelecido sobre melhores promessas, não necessitamos saber do dia a dia uns dos outros, a palavra da graça te é suficiente, aqui não nos ocupamos com carne, cada um levará a sua própria carga. O que você necessita é de um conhecimento, pois em carne, ninguém se qualifica.

Já identificamos que pela lei não podemos nos justificar, pois Cristo a aboliu. Também está notório que é impossível entrarmos por esta. Temos então, que acharmos uma outra lei que nos torne aptos. Vamos encontrá-la nesta mesma carta:

Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte. ROMANOS. 8:2.

Paulo diz que a lei do espírito de vida, já te livrou da lei do pecado e da morte. Recordam-se do que foi dito pelo profeta Oséias? Te livrará! Pois então? Depois da cruz já se cumpriu. Uma pergunta: o que significa uma lei? Um decreto! Algo estabelecido por Deus. Este decreto é imutável. E por meio do evangelho, esta lei tem que ser aplicada em tua vida. Recordemos então o verso três:

Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne; ROMANOS. 8:3.

O pecado já foi condenado na carne, e isso significa que ele não tem mais o poder de manchar o teu espírito, faça você o que fizer, isso é impossível. Vamos aqui te dar um exemplo para que isso fique bem claro em tua mente.

Pense em um criminoso procurado! Se o matam? Se extinguiu, desaparece. Mas, se apenas o aprisionam? Ele está preso; condenado, não pode causar mais nenhum dano, porém, você sabe que ele está ali.

Assim é o pecado em nossos membros. Cristo condenou o corpo pecaminoso, ele o circuncidou, lançou fora; o prisioneiro foi tirado de cena, porém, ele está aí. Assim como, um criminoso preso, ele pode pensar, maquinar, falar, te sugerir, às vezes até te humilha com sugestões negativas. Por isso, a necessidade de conhecermos o evangelho. Assim, servimos a Deus com a mente e nos livramos de nós mesmo.

CONCLUSÃO

O evangelho foi o mecanismo que Deus criou, para que possamos reinar em vida. Pode alguém dizer: assim é fácil! E corre-se o risco de cair em libertinagem. Porém, jamais podemos esquecer que o evangelho é poder de Deus, e este evangelho ativa em nós um espírito de amor e domínio próprio. Pelo espírito, temos a capacidade de fazermos morrer as obras da carne.

Não busques combater carne com carne, com a mente, pelo espírito, nos fortalecemos. Quanto mais nos inteiramos do evangelho, mais maduros nos tornamos. A religião trabalha com a carne, já o evangelho, educa o teu espírito. Cristo ao se entregar na cruz, destruiu ao pecado, destruiu ao que tinha o império da morte e também destruiu a morte. Nada mais poderá nos separar do seu amor. Você é um abençoado!!!

www.institutoeducacionaljlm.com.br

Para solicitar estudos, escreva-nos: estudosparepense@gmail.com

Curta nossas páginas no Facebook:

JH CALQUEOS https://www.facebook.com/JH-Calqueos-267765700080161/.

LOUVORES EM GRAÇA – https://www.facebook.com/Louvores-EM-GRA%C3%87A-547150175483721/.


Você é nosso visitante número: visitas