27 de agosto de 2017

DÍZIMOS E OFERTAS

PARE E PENSE!!!

“DÍZIMOS E OFERTAS”

Este é um assunto delicado e polêmico, porém de extrema importância, para abordarmos neste estudo. A religião com suas práticas escusas e covardes, deturpou esta pratica, criando em determinadas mentes uma grande confusão. É o dizimo da lei? É licito em graça receber dízimos e ofertas? Se acaso não dizimar, serei abençoado?

As evidências a seguir, irão aclarar ao leitor acerca desta e tantas outras indagações, tão comum quanto a este serviço.

Antes de entrarmos em cheio a estas respostas, é necessário esclarecer; Aonde e quando se estabeleceu a pratica de dizimar. Vamos ao livro de Gênesis, o qual cita ser Abraão o primeiro dizimista nesta terra, (Lembrando que Abraão é o nosso Pai na fé). Logo dizimar é um ato de fé.

E o rei de Sodoma saiu-lhe ao encontro (depois que voltou de ferir a Quedorlaomer e aos reis que estavam com ele) até ao Vale de Savé, que é o vale do rei. E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo. E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra; E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. “E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo”. GENESIS. 14: 17 – 20.

Este texto também é relatado por Paulo em sua carta aos Hebreus, quando o mesmo trata deste assunto (dizimar), com esta igreja.

Porque este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou; A quem também “Abraão deu o dízimo de tudo”, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz; HEBREUS. 7: 1, 2.

Aqui começa a cair à tese que dizimo é da Lei. Sendo o dizimo da lei, Paulo estaria tocando neste assunto com esta igreja? Recorde-se, Ele era aquele que trazia um novo pacto, que era contrario a lei. Um detalhe importantíssimo a ser esclarecido; Abraão está há 400 anos antes da lei de Moisés, portanto o dizimo não é uma imposição da lei. Outra importante observação; Este Melquisedeque era o próprio Deus (verso: 4). No verso dezessete desta carta, Paulo declara ser esta manifestação; um sacerdócio eterno, ou seja, esta ação de dizimar, se perpetuaria eternamente.

Considerai, pois, “quão grande era este”, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos. HEBREUS, 7:4.

Porque ele assim testifica: “Tu és sacerdote eternamente”, Segundo a ordem de Melquisedeque. HEBREUS 7: 17.

O dizimo “entra no pacto da Lei”, por conta deste sacerdócio eterno, (no verso 5), encontramos o apostolo descrevendo que esta responsabilidade de receber dízimos, foi dada a tribo de Levi.

E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio “têm ordem”, segundo a lei, de “tomar o dízimo do povo”, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão. HEBREUS, 7:5.

Mais adiante mostraremos; como este sacerdócio atravessando aos pactos chega até nós, que estamos estabelecidos sobre melhores promessas. Antes, porém vamos abordar, onde esse assunto saiu dos trilhos. Porque estamos vendo esta balburdia, que hoje ocorre dentro das chamadas igrejas? Como algo que foi estabelecido por Deus, e sendo uma grande dádiva a seus filhos, tornou-se um grande comercio na então chamada era cristã?

CONTAMINAÇÕES DA RELIGIÃO

1º CONTAMINAÇÃO – UM ENSINO EQUIVOCADO

Paulo em sua carta aos Coríntios, alerta a igreja; Temos que estar preparados para as artimanhas dos homens corruptos, pois com seus ensinos ardilosos, são capazes de nos contaminar.

Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do “espírito”, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus. 2ª CORÍNTIOS. 07: 01.

Note que a palavra “espírito”, está escrita em letra minúscula, esta expressão significa uma forma de ensino, um modo de comportamento. Nos capítulos a seguir, o apóstolo continua com suas advertências.

Porque, se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós não temos pregado, ou se recebeis outro “espírito” que não recebestes, ou outro evangelho que não abraçastes, com razão o sofreríeis. 2ª CORÍNTIOS 11: 04.

Estes homens apresentaram a nós uma doutrina perversa e daninha, nos ameaçaram com devoradores, lançaram as mais covardes artimanhas a cerca deste assunto, nos afastando de algo tão maravilhoso.

2º CONTAMINAÇÃO – ENTREGAR DÍZIMOS A UM HOMEM.

Por conta destes ensinos equivocados, hoje existe uma vertente que educa ao povo, que não devemos semear mais, principalmente a um homem. Porém Paulo em sua carta aos Hebreus é claro; Este sacerdócio atravessou os anos e eras, e hoje devemos entregar dízimos e ofertas sim.

“E aqui” certamente tomam dízimos homens que morrem; “ali”, porém, aquele de quem se testifica que vive. HEBREUS. 07:08.

Separemos estas duas afirmações:
“E aqui”; neste pacto. “E ali”; antes da lei.

3º CONTAMINAÇÃO – AVAREZA.

A ação de semear ativa em nós um grande livramento; a avareza. Paulo chama esta debilidade de idolatria. Ao nos contaminar com um ensino errado, estes homens ativaram este dardo inflamado. Quando muitos ouvem a expressão vamos dizimar? Começa a guerra interior, não posso não devo, vai me faltar, o que ele vai fazer com meu dinheiro, melhor é reter… Vou dar apenas uma colaboração, uma ajudazinha.

Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a fornicação, a impureza, o afeição desordenada, a vil concupiscência, e a “avareza, que é idolatria”; COLOSSENSES. 03:05.

SIGNIFICADO DE AVAREZA

Particularidade ou característica da pessoa avarenta; apego extremo ao dinheiro; cuja preocupação maior é juntar dinheiro. Ação ou maneira de se comportar da pessoa avarenta. P.ext. Que não demonstra generosidade; mesquinhez. (Item. do latim: avaritia.ae)

4º CONTAMINAÇÃO – AMOR AO DINHEIRO.

Paulo cita que ter dinheiro não traz problema algum, dinheiro é bom, ele proporciona conforto, segurança, traz benefícios a nossas vidas, o “problema”, é se apegar a ele a ponto de te causar danos. Veja o conselho a seu filho Timóteo.

Porque “o amor” ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça “alguns” se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. 1ª TIMÓTEO. 06: 10.

É LICITO VIVER DE DÍZIMOS E OFERTAS?

Já mostramos com evidências que no pacto da graça, estão habilitados homens mortais, a receber dízimos e ofertas. Paulo escrevendo a Timóteo declara; Digno é o obreiro de seu salário,

Pois a escritura disse; Não colocaras mordaças ao boi que debulha; E: Digno é o obreiro de seu salário. 1ª TIMÓTEO. 05: 18.

O detalhe que devemos esquadrinhar é; Este homem é digno de recebe-lo? Está ele a te comunicar uma verdade? O que sai de seus lábios, é o verdadeiro evangelho? Ou a mensagem que sai de sua boca, tem apenas o objetivo de fazer comercio contigo? Na carta aos gálatas o apostolo orienta; Aquele que te instrui com a verdade, e te faz prosperar com esta verdade, é digno de participar contigo, dos benefícios que te traz esta verdade.

E o que é “instruído na palavra” reparta de todos os seus bens “com aquele que o instrui”. GÁLATAS. 6: 6.

O CUIDADO COM A IGREJA

PAULO TRABALHAVA PARA O SEU SUSTENTO

Paulo orientava a todos a dizimarem, porém ele não vivia disto, pois entendia que não deveria ser pesado a ninguém. Ele trabalhava era construtor de tendas, e isso era uma prerrogativa sua, uma opção pessoal.

E depois disto partiu Paulo de Atenas, e chegou a Corinto. E, achando um certo judeu por nome Áqüila, natural do Ponto, que havia pouco tinha vindo da Itália, e Priscila, sua mulher (pois Cláudio tinha mandado que todos os judeus saíssem de Roma), ajuntou-se com eles, ‘E, como era do mesmo ofício, ficou com eles, e “trabalhava”; pois tinham por ofício fazer tendas. ATOS. 18: 1 – 3.

PORÉM ELE TINHA O CUIDADO COM AS IGREJAS.

Como já identificamos o apostolo trabalhava, mas ele jamais privou a igreja de semear, pois bem sabia que isso era um benefício para eles. Nos versos a seguir vamos ver um povo dadivoso, auxiliando ao apóstolo em suas missões. Em determinado momento desta narrativa, Paulo deixa claro que não buscava nada para si, mas o ato deles semearem produziria um fruto precioso a cada um.

Todavia fizestes bem em tomar parte na minha aflição. E bem sabeis também, ó filipenses, que, no princípio do evangelho, quando parti da macedônia, nenhuma igreja comunicou comigo com respeito a “dar” e a “receber”, senão vós somente; Porque também uma e outra vez “me mandastes” o necessário a Tessalônica. “Não que procure dádivas”, mas procuro o fruto que cresça para a “vossa conta”. Mas bastante tenho recebido, e tenho abundância. Cheio estou, depois que “recebi” de Epafrodito o que da “vossa parte me foi enviado”, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus. FILIPENSES. 4: 14 – 18.

DESPOJANDO A OUTROS

HAVIA IGREJAS QUE DESPOJAVAM A OUTRAS

Assim como hoje, em tempos passados, haviam aqueles que queriam o conhecimento da graça, almejavam seus benefícios, mas quanto a semear ao apostolo eram negligentes. Muitas vezes Paulo teve que ser duro, em seu discurso com eles.

Outras igrejas “despojei” eu para vos servir, “recebendo delas salário”; e quando estava presente convosco, e tinha necessidade, a ninguém fui pesado. Porque os irmãos que vieram da macedônia “supriram a minha necessidade”; e em tudo me guardei de vos ser pesado, e ainda me guardarei. 2ª CORÍNTIOS 11:8-9.

COMO SE DESPOJA A OUTROS?

Recebendo a palavra, sendo beneficiado da semente de outros, e não contribuindo para que outras vidas sejam alcançadas. Sua avareza é notória, não os permitiam semear. Adoram este evangelho que lhes trouxe liberdade, dizem reinar em vida, mas quando é tocado o assunto de dizimar e ofertar, começam os questionamentos que citamos no início deste estudo.

Aqui abriremos um parêntese, para destaparmos uma grande mentira que hoje é espalhada por ai. O argumento da moda é; Dizimo não é dinheiro, os levitas recebiam alimentos e utensílios, logo não temos que dar dinheiro a ninguém.

Quando as doze tribos foram separadas, coube aos levitas, não trabalharem, a ordem eram cuidar dos assuntos do templo. Eles fariam os sacrifícios, oficiariam os rituais, as cerimonias, tudo aquilo que fosse relacionado ao templo, era de encargo deles. Em troca disto as demais tribos teriam a prerrogativa de cuidar deles, os sustentariam. Cada um traria a décima parte daquilo que produzissem. Por ventura alguma tribo daquela época produzia dinheiro, alguém ali fabricava moedas?

Acabamos de ler Paulo citando; os irmãos que vieram da Macedônia, me entregaram “salario” (2ª CORÍNTIOS 11:8-9), ou ele citou que alguém lhe deu, arroz, feijão, óleo, manteiga, roupas? Eu posso dar um microfone, uma caixa de som, um terno ao líder? Pode, mas não tome isso como dizimo. Paulo nunca se limitou em tratar deste assunto, com suas igrejas. Ele falava abertamente; o que vou corrigir aqui, se trata de dinheiro, tanto que alertou a Timóteo: Cuidado com isso!

Porque “o amor” ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça “alguns” se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, o homem de Deus, “foge destas coisas”, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão. 1ª TIMÓTEO. 06: 10, 11.

Se você foi alcançado por esta palavra, nunca se esqueça; alguém um dia semeou, para que você a ouvisse. E tenha certeza o que semearam; foi dízimos e ofertas. Os textos a seguir vão te educar, para algo bem precioso.

PROVISÃO E MULTIPLICAÇÃO

Deus não é mesquinho para se esquecer de seus filhos, Paulo declara que ele jamais abandona aos seus. Isso se chama provisão.

Ora, aquele que “dá a semente ao que semeia”, também vos dê “pão para comer”, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça; 2ª CORÍNTIOS. 09: 10.

PROVISÃO – ELE SEMPRE TE DÁ

O salmista Davi escreveu que jamais viu um justo mendigar o pão.

Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão. SALMOS: 37: 25

MULTIPLICAÇÃO

Já identificamos que a provisão vem dele, o apostolo foi claro; Ele te dá para semear. O detalhe é o que você vai fazer com essa provisão, queres multiplica-la? Ai começa a submissão ao evangelho.

E digo isto: Que o que “semeia pouco”, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância ceifará. 2ª CORÍNTIOS. 09:06.

Dízimos e ofertas, foi um mecanismo que o próprio Deus criou, para multiplicar aquilo que ele mesmo te entrega. Não existe mágica, não existem formulas fabulosas, para esta multiplicação. Se alguém te prega um evangelho diferente, se te traz uma forma de ensino diferente disto, este homem é anátema, o tenha como um maldito.

Como antes tenho dito, também agora o repito: se alguém vos prega “diferente evangelho” do que haveis recebido, seja anátema. GÁLATAS. 1:9

CONCLUSÃO

A conclusão que chegamos nesta matéria é que; Semear, Dizimar, ofertar é uma dadiva, é um dom inefável. Os que experimentam este serviço aos santos; São pessoas realizadas e felizes. São abençoados sem culpas, sem traumas e sabedores do benefício que trazem ao reino, na divulgação do evangelho da paz. Somos obrigados a semear? Não de forma alguma. Vou continuar a ser abençoado? Claro que sim. Somos abençoados desde os tempos eternos. Terei abundância em minha vida? Não… A provisão nunca lhe faltará, mas o multiplicar depende desta ação.

Enquanto durar a terra, “semeadura e colheita”, frio e calor, verão e inverno dia e noite, jamais cessarão. GÊNESIS 8:22.

Você é um abençoado!!!

Para solicitar estudos escreva-nos: estudosparepense@gmail.com

Curta nossas páginas no Facebook:

JH CALQUEOS https://www.facebook.com/JH-Calqueos-267765700080161/

LOUVORES EM GRAÇA – https://www.facebook.com/Louvores-EM-GRA%C3%87A-547150175483721/


Você é nosso visitante número: visitas