23 de outubro de 2017

JÁ NÃO VIVO EU

PARE E PENSE!!!

“JÁ NÃO VIVO EU”

 

Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. GÁLATAS. 2:20.

O verso que utilizaremos para abrir este estudo demonstra toda responsabilidade que deve ter aquele que almeja ser um anunciador do evangelho, o qual, temos apresentado.

Um dos maiores riscos que pode se correr, ao adquirir conhecimento, se chama jactância.

O conhecimento, seja ele qual for, tanto na Lei (circuncisão), ou na graça (incircuncisão), produz soberba, orgulho, falsa modéstia, entre tantos outros atributos que poderemos aqui relacionar.

Ao fazer esta declaração o apóstolo está se despojando de toda sabedoria humana, tudo aquilo que ele aprendeu aos pés de Gamaliel, um dos maiores rabinos de seu tempo. Ele a qualifica, em uma de suas epístolas, como sendo esterco. (FILIPENSES. 3:8). Vamos analisar detidamente o verso acima:

MORTOS PARA O MUNDO – VIVOS PARA DEUS

Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim;

Se Paulo está dizendo que ele não vive mais, isso significa que toda sua sabedoria adquirida, todo seu intelecto, todas suas qualidades, neste momento estão mortos, ou seja, quando damos margem para que Cristo viva em nós, o teu EU, não pode mais viver.

O grande problema é o lado contrário a esta declaração. Pois se dissermos, que estamos cheios de conhecimentos teológicos, filosóficos, e apresentamos como muitos por aí, suas graduações, seus letrados, seus doutorados… Aí, não há margem para dizer que Cristo esteja vivendo, pois até mesmo a física explica: QUE DOIS CORPOS NÃO PODEM OCUPAR O MESMO ESPAÇO AO MESMO TEMPO. Ou Vives tu ou vive Cristo.

Veja a segunda parte deste verso:

E a vida que agora vivo na carne; vivo-a pela fé do Filho de Deus.

Paulo está sendo claro, eu estou morto, as minhas habilidades, o meu EU, não existe mais, porém eu tenho um viver diário na carne, mas até mesmo este viver diário, não é meu. Tenho então que vive-lo na fé do filho de Deus. Nem a fé é minha… Heloooooooo!!!

Viver na fé do filho de Deus: representa um estilo de vida, que mostra com toda evidência que você está livre da apostasia. E o que é estar livre de apostasia? É viver uma vida onde literalmente estás ausente as obras da lei: eu jejuo, faço campanhas, vou à vigília, guardo o sábado… Um morto, não faz nada. Como agora você vai se meter a fazer algo, se já estais morto?

No verso quatorze desta mesma carta, Paulo apresenta o contexto deste verso que acabamos de ler. Alí ele encontra homens onde nitidamente não se via Cristo vivendo neles, e o mais sério desta afirmação é que estes homens ditavam as regras por eles estabelecidas, à igreja.

Mas, quando vi que não andavam bem e retamente conforme a verdade do evangelho, disse a Pedro na presença de todos: Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus? GÁLATAS. 2:14.

O apóstolo identificou, ele viu que aqueles homens eram contra a verdade do evangelho. E o que vem a ser andar conforme a verdade do evangelho? É demonstrar com sua conduta diária, com seu proceder, que Cristo vive em ti. Porém, para que Cristo viva em ti, se faz necessário que você esteja morto.

Pedro buscava levantar uma igreja, um império, onde o homem vivesse, e Cristo ficasse em segundo plano. E isto é apostasia. Este homem foi o pior ser, que pisou esta terra nos tempos de Paulo, porque ele educava as pessoas, para que elas vivessem, e não Cristo.

Pedro era judeu e ele ensinava o judaísmo, onde, para você agradar a Deus, se fazia necessário as obras; era o teu esforço que contava. Já Paulo declarava: abandonem isto já, Cristo é que tem de viver em vós.

VIVENDO EM APOSTASIA

Em estudos passados, já tivemos a oportunidade de aclararmos este termo: APOSTASIA. Porém vamos recordar seu significado. APOSTASIA: renúncia de uma religião ou crença; “abandono da fé (especial/ da cristã)”; renegação; ato de renunciar a (partido, doutrina, teoria etc.).

O ponto que entraremos agora é extremamente delicado. Já está claro, que estar em apostasia, é abandonar a fé e entrar em obras, ok? Pode então alguém dizer: isso não é para mim, pois eu estou em graça, isso é para os que estão lá no sistema religioso.

Cuidado, você pode estar em graça, ou dizer que vive em graça, mas se Cristo não está vivendo em ti, estais também em apostasia.

Em graça, você não pode viver, quem tem que viver em ti é Cristo, e isso te leva a um estilo de vida que demonstre claramente que teus esforços, suas estratégias, seus planos, suas habilidades, o teu talento, aqui não servem para nada. Viver na fé do filho de Deus, é ausência do teu EU.

Há um verso muito conhecido no qual Cristo expressa-se da seguinte forma:

Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier “o Filho do homem”, porventura achará fé na terra? LUCAS. 18:8.

Vamos analisar este verso: Aí não está falando de Jesus de Nazaré, pois é ele mesmo falando (Busque ao estudo: 22 – O LADRÃO NA NOITE), Jesus está falando de uma manifestação de Deus, que se chama o filho do homem, e a pergunta é simples: Quando ele vier encontrará fé na terra?

Alguém pode dizer, todo mundo tem fé. Não… Muitos pensam ter fé, pois a grande maioria está por aí, professando fé, mas na verdade está até o pescoço metido em obras:

Eu tenho que fazer; eu tenho que jejuar; eu tenho que buscar poder, eu tenho, eu tenho, eu tenho… Isto é fé? Fazer é a ausência de fé, e ausência de fé se chama: APOSTASIA.

Paulo em sua primeira carta à igreja de Corinto, desnuda explicitamente aos apóstolos de Jesus de Nazaré. Recordem que lá atrás dizemos: Mas, quando vi que não andavam bem e retamente conforme a verdade do evangelho. Paulo viu, os identificou, e de imediato os sentenciou.

Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como perito arquiteto, pus o fundamento, e “outro” edifica sobre ele; mas veja cada um como sobre-edifica sobre ele. 1ª CORÍNTIOS. 3:10.

Paulo está sendo claro: eu pus um fundamento, que fundamento? Cristo e este ressuscitado. Agora virá um (O OUTRO) que dirá publicamente: Todo o sistema religioso chamado cristão está de condenar, pois eles têm os olhos postos em Jesus de Nazaré, e consequentemente estão vivendo em obras. Cristo, o ressuscitado, não está vivendo neles.

A grande questão daqui por diante, esteja você em graça ou não, é que quando somos expostos a este evangelho, começa-se a sacar, as intenções dos corações. E tudo o que fazemos ou professamos, é provado conforme a medida do que faças ou confessas. Se você diz viver em graça, mas Cristo não está vivendo em ti, vais ter sérios problemas, pois viver na graça é viver a vida de um morto. Veja a continuidade destes versos e entenda o contexto:

Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. 1ª CORÍNTIOS. 3:11.

O apóstolo está sendo claro: não me apresente a Jesus de Nazaré, nosso assunto aqui é Cristo, e este, ressuscitado. Este é o fundamento que eu pus, e ninguém pode mudar isto.

E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um.
1ª CORÍNTIOS. 3:12, 13.

Notem que aqui Paulo está apresentando dois tipos de materiais, nos quais se sobre-edificam, os primeiros (ouro, prata, pedras preciosas), representam o apostolado da graça, já os outros (madeira, feno, palha), são os que representam as obras da lei. E diz mais! A obra de cada um será manifestada. E ser manifestado, é ter uma exposição pública de seus atos, todos verão.

A partir do momento que todos veem suas intenções com este evangelho, de imediato se passa por fogo. Teu trabalho passa por uma análise, ele é provado, e se não estiver em linha com esse fundamento estabelecido por Paulo, tudo isso vem à ruína.

Como diz o ditado popular: fulano se queimou, aquele ali está queimado. Portanto, na graça não cabe duplas intenções. Não estamos falando de comportamento carnal, pois essa carne veio com defeito e seguirá assim. O assunto aqui é a nossa firmeza com esta doutrina.

Então eu não tenho que utilizar minhas habilidades, criar umas estratégias, buscar uns planos para fazer a palavra correr? Não posso ter aí umas maquinaçõezinhas, para ter sucesso? Não, você está morto.

Não acabamos de ler, já não vivo eu, é Cristo que vive em mim? Como você agora quer buscar o teu? Na graça, quem conduz a tua vida são os anjos, eles manifestam a ti tudo o que é necessário. Para o teu viver diário, basta a fé do filho de Deus.

O TRIBUNAL DE CRISTO

Nós já estamos diante do tribunal de Cristo. O evangelho, a palavra, o fundamento estabelecido por Paulo, e a doutrina explicada por Jesus Cristo Homem, são as ferramentas que a igreja hoje utiliza para julgar e medir as intenções do coração. Veja o que Davi escreve em um de seus salmos:

Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. SALMOS. 127:1.

Quer dizer que, se não for o SENHOR no comando do assunto, todo teu trabalho é vão, pois tua obra será provada. Outro detalhe importantíssimo: Paulo na continuidade desta carta aos Coríntios, afirma que a obra de cada um será provada, e se porventura esta se queimar, este não perderá sua salvação.

Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo. 1ª CORÍNTIOS. 3:15.

Vais chegar onde Deus tem que te levar, mesmo que seja tostado, por que você e eu somos filhos, e filho é para sempre. A questão aqui apresentada, é desnudar por completo todo o nosso “EU”, pois nós somos plenamente dependentes de Deus, nós não temos nada, nossa suficiência vem Dele.

Mas então o que farei com meus dons, minha inteligência? Eu estudei no seminário tal, fiz minha teologia, meu mestrado, meu doutorado… Aqui não serve. Por que se não, está dando a evidência que é você, e isso, está bem claro: quem tem de viver é Cristo, e não tu.

Não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus, 2ª CORÍNTIOS. 3:5.

Esta é a maior evidência de um morto, entender que a sua capacidade, inteligência, suficiência, competência, vem plenamente de Deus. Vamos entender um pouco mais a classe de seriedade do que estamos te apresentando neste estudo.

Porque não chegastes ao monte palpável, aceso em fogo, e à escuridão, e às trevas, e à tempestade, E ao sonido da trombeta, e à voz das palavras, a qual os que a ouviram pediram que se lhes não falasse mais; Porque não podiam suportar o que se lhes mandava: Se até um animal tocar o monte será apedrejado ou passado com um dardo. E tão terrível era a visão, que Moisés disse: Estou todo assombrado, e tremendo. HEBREUS. 12:18-21.

Paulo está descrevendo uma cena das mais terríveis, e temíveis, vista sobre toda a terra. Aqui ele se refere a Deus entregando a lei a Moisés. Leia os versos novamente e tente em sua mente estar presente neste cenário.

Nós não nos aproximamos, não participamos daquele momento, porém o que o apóstolo passa a relatar nos versos seguintes é muito mais delicado, muito mais poderoso do que ocorreu alí.

Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos; À universal assembleia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados; E a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel. HEBREUS. 12: 22-24.

Hoje por meio desta palavra, por meio deste evangelho, estamos diante do Deus vivo, estamos na congregação dos espíritos justos feitos perfeitos, onde Deus mesmo, o juiz de todos, está julgando as intenções dos corações.

Lá era um pacto onde o indivíduo tinha a chance de viver, e lemos que as coisas eram tão sérias que Moisés estava apavorado e tremendo. E agora, como será neste pacto, onde as instruções são para que estejamos mortos?

Mas, o que faço então? Quando as situações se apresentarem: onde me faltar dinheiro, me faltar recursos, me afetar o físico… E quando vem “os problemas”, o que faço? Anjooooooooooo… Apresentem a eles!!!

Se são eles que nos conduzem, entregue a eles todas as situações, confesse o pacto e repouse, viva na fé do filho de Deus. Este tipo de atitude compromete a cobertura angelical a teu favor; os anjos miram e identificam, aí está um morto, vamos agir. Porém, se a cobertura identifica um indivíduo a maquinar, a buscar o seu… Por aqui a caminho….

CONCLUSÃO

Quando andamos na atitude de um morto, sempre há provisão em todas as áreas de nossas vidas. Mas eu ando confessando e não está funcionando, o que faço? Faça um exame de suas atitudes, esquadrinhe-se, se tiver que ajustar algumas coisinhas aí, mesmo que doa, faças. Isso se chama o exame da fé.

Cuida-te deste assunto de que por meio da “sua fé…” humm… Isso cheira a apostasia. Você tem que estar morto. Nem fé aqui tu tens. Diga comigo: NÃO VIVO EU, CRISTO VIVE EM MIM, E O VIVER QUE ME RESTA, VIVO NA FÉ DO FILHO DE DEUS. Você é um abençoado!!!

www.institutoeducacionaljlm.com.br

Para solicitar estudos, escreva-nos: estudosparepense@gmail.com

Curta nossas páginas no Facebook:

JH CALQUEOS https://www.facebook.com/JH-Calqueos-267765700080161/.

LOUVORES EM GRAÇA – https://www.facebook.com/Louvores-EM-GRA%C3%87A-547150175483721/.


Você é nosso visitante número: visitas